Câmara dos Lordes


Câmara dos Lordes

A Câmara dos Lordes permanecia mais poderosa do que a Câmara dos Comuns, mas a câmara baixa continuava a ganhar espaço. 

No século XVII os conflitos entre o rei e o Parlamento levaram à Guerra Civil Inglesa. O parlamento desenvolveu-se a partir do conselho que auxiliava o rei durante a idade média. Este conselho real era composto por eclesiásticos, nobres e dos representantes dos condados.

Novos desenvolvimentos ocorreram durante o reinado do sucessor de Eduardo II, Eduardo III. Foi durante este reinado que o parlamento se dividiu oficialmente entre duas câmaras distintas: a Câmara dos Comuns (constituída pelos representantes dos condados e municípios e) e a Câmara dos Lordes (constituída pelo alto clero e pela nobreza). A autoridade do Parlamento continuou a crescer e, no início do século XV, ambas as casas já exerciam poderes duma extensão jamais vista. A Câmara dos Lordes era muito mais poderosa que a dos Comuns, devido à grande influência dos aristocratas e dos prelados do reino.

O poder da nobreza sofreu um colapso devido às guerras civis do fim do século XV, conhecidas como Guerra das Rosas. Grande parte da nobreza foi dizimada no campo de batalha ou executada por ter participado da guerra, e muitas propriedades aristocrásticas foram tomadas pela coroa. Além disso, o feudalismo estava morrendo, e os exércitos feudais controlados pelos barões tornaram-se obsoletos. A coroa restabeleceu facilmente sua soberania absoluta sobre o reino. A dominação da realeza continuou a crescer durante os reinados da casa de Tudor. A coroa atingiu o auge de seu poder durante o reinado de Henrique VIII.

A Câmara dos Lordes permanecia mais poderosa do que a Câmara dos Comuns, mas a câmara baixa continuava a ganhar espaço. No século XVII os conflitos entre o rei e o Parlamento (a maior parte deles com a Câmara dos Comuns) levaram à Guerra Civil Inglesa. Em 1649, após a derrota e a execução do rei Charles I, uma república foi declarada, mas a nação era na verdade uma ditadura sob governo de Oliver Cromwell. A Câmara dos Lordes se tornou um órgão quase irrelevante, com Cromwell e seus apoiadores da Câmara dos Comuns controlando o governo. Em 19 de março de 1649, a Câmara dos Lordes foi abolida por um ato do Parlamento, que declarava que "Os comuns da Inglaterra julgam por experiência demasiada longa que a Câmara dos Lordes é inútil e perigosa ao povo da Inglaterra." A Câmara dos Lordes só foi restaurada quando o Parlamento da Convenção se reuniu em 1660 e a monarquia foi restaurada. Voltou a ser então a Câmara mais poderosa do Parlamento, e assim continuou até o século XIX.

Ou melhor até John Sewel um Membro da Câmara dos Lordes filmado com prostitutas e cocaína.