Documentário sobre Cientologia pode virar ação judicial!


Documentário sobre Cientologia pode virar ação judicial!

O documentário contundentes sobre a Igreja, que estreou nos Estados Unidos em março, foi aberta aos cinemas internacionais durante a última semana. 

Ele tem feito os números de bilheteria subir cada hora, mas está enfrentando ameaças de ações judiciais por parte da Igreja, o diretor Alex Gibney disse ao Hollywood Reporter.

"Cada passo do caminho, cada distribuidor, cada festival recebeu várias cartas ameaçadoras a partir da Igreja da Cientologia.", diz Gibney.

No Reino Unido, emissora Sky interrompeu os planos de levar o documentário ao ar em abril, devido a preocupações com a lei de difamação da Irlanda do Norte, que é mais restritiva do que a Lei de Difamação da Grã-Bretanha. "A Irlanda tem leis muito ruins se você está pensando em uma imprensa livre", diz Gibney.

Sobre a Cientologia

A cientologia é uma religião inventada pelo estadunidense L. Ron Hubbard em 1954, mas é uma religião voltada, exclusivamente para pessoas que têm muito dinheiro. Esse talvez seja o principal motivo porque a mesma nunca emplacou no Brasil. Mesmo assim vale à pena conhecer um pouco da história da mesma, uma vez que ela reflete a incansável e insaciável vontade humana de resolver as suas mais profundas necessidades por meio da invenção de religiões.

A cientologia se define como uma religião que prega o uso do poder da mente para driblar sofrimentos da vida moderna, como o estresse, a ansiedade, a agressividade e o pessimismo. A prática é baseada na teoria Dianética, criada pelo fundador da cientologia, o escritor de ficção científica L. Ron Hubbard, em 1954. A seita acredita que o homem é um ser imortal que passa por diversas experiências até atingir a iluminação. Críticos da cientologia a definem como uma organização que vende serviços de autoajuda e livros sob a fachada de religião.

A principal crença da cientologia une devaneios de ficção científica à teoria sobre a origem do universo. De acordo com a seita, os seres humanos são extraterrestres que chegaram à Terra há 75 milhões de anos. O vilão das galáxias, lorde Xenu, comandava 76 planetas e sofria com a superpopulação. Então, teve a ideia de mandar alguns bilhões de extraterrestres para um planeta desabitado, a Terra. Para enganar a população, Xenu convocou os cidadãos-alienígenas para inspeções tributárias. Quem comparecesse ao chamado era surpreendido com uma injeção de substância paralisante para ser congelado e colocado em naves espaciais rumo à Terra.

Fundada em 1954 pelo ex-militar e autor de ficção científica L. Ron Hubbard, morto em 1986, a religião tem 10.000 igrejas em 167 países e reúne 15 milhões de seguidores. Os dogmas e princípios são ensinados exclusivamente através dos livros escritos por Hubbard. De acordo com a igreja, o livro Dianética: O Poder da Mente, lançado em 1950, vendeu 22 milhões de cópias e figurou na lista de best-sellers nos Estados Unidos por quatro décadas. Há indícios, porém, de que a própria igreja comprava a obra em grandes quantidades para mantê-la nas listas dos mais vendidos. Hubbard, conhecido pelas iniciais LRH, é descrito em biografias oficiais como físico nuclear e oficial da Marinha americana, mas, na realidade, ele fez um curso de quatro meses de administração militar na Escola de Treinamento Naval, em Princeton, e apenas dois anos da faculdade de Engenharia de George Washington e foi reprovado nas aulas de física molecular e atômica.

Livre de orações, símbolos ou cultos, a cientologia é praticada no dia a dia através de ações. A iniciação se dá pelo ritual de purificação, em que os adeptos se livram dos traumas e pensamentos negativos do passado. Dessa forma, a pessoa adquire os mesmos poderes dos deuses mitológicos e torna-se capaz de manipular o espaço e o tempo. Essa capacidade, porém, só é possível atingir ao ler todos os livros de Hubbard, feito alcançado apenas por apenas 10% dos cientologistas, de acordo com estimativas da organização. Para atrair seguidores, membros da igreja fazem plantão em estações de metrô e outros locais públicos para oferecer medição do estresse.

A seita não permite a seus seguidores uma série de coisas, entre elas tomar remédios como analgésicos e antidepressivos, que, teoricamente, atrapalham a conexão do indivíduo com o ser supremo. A cientologia persegue os fundamentos da psicologia e da psiquiatria e taxa os pensamentos de Freud e Jung como nazistas, apesar de Freud ter sido judeu e obrigado a fugir da Áustria por causa do nazismo. Ainda segundo a doutrina cientológica, as mulheres devem dar à luz em casa, sem anestesia e em absoluto silêncio. Gritos de dor traumatizariam a criança.

Em 1977, líderes e integrantes da cientologia foram investigados pelo FBI e acusados de terem invadido 136 órgãos governamentais americanos para violar documentos que provariam contravenções da seita, como débitos na Receita Federal. Sete cientólogos foram presos, entre eles Mary Sue, a segunda mulher de L. Ron Hubbard. O escândalo foi deflagrado após denúncia de Michael Meisner, cientólogo mantido refém por outros membros da igreja antes de fugir e relatar suas atividades criminais à polícia. As ações criminosas praticadas por membros da igreja e outras críticas pesadas à organização foram detalhadas no livro O Escândalo da Cientologia, de Paulette Cooper, lançado em 1971 e até hoje combatido fortemente pelos seguidores da religião.