Coca Cola não quer seu bem e está sendo processada por isso


Coca Cola não quer seu bem e está sendo processada por isso

Será que a Coca Cola, uma das maiores produtoras de refrigerantes do mundo, está mesmo financiando estudos, considerados controversos, para combater a obesidade?
 
De acordo com um artigo do 'New York Times', a empresa está sendo acusada de patrocinar pesquisas que dizem ser mais importante fazer exercício do que cortar calorias para manter um peso saudável.

Cientistas dos Estados Unidos acreditam que é o sedentarismo, e não a má alimentação, o principal responsável pela obesidade. Segundo o "New York Times", para fornecer apoio logístico e financeiro a estes investigadores, a empresa apoia uma organização sem fins lucrativos, chamada Global Energy Balance Network, que tem promovido a ideia de que os americanos preocupados com um estilo de vida saudável estão mais fixados nas quantidades de comida e bebida que ingerem, quando deviam realmente preocupar-se com o exercício físico.

Coca Cola não quer seu bem e está sendo processada por isso

Mas este estudo divide opiniões. Para outros especialistas, a mensagem faz parte da estratégia da Coca Cola para desvalorizar o papel que tem sido atribuído aos refrigerantes no aumento da obesidade e da diabetes tipo 2. Eles dizem que a Coca Cola está usando a organização sem fins lucrativos para tentar convencer que a atividade física pode compensar uma alimentação pouco saudável, ainda que já tenha ficado provado que o impacto do exercício físico na saúde é menor quando comparado com alterações na dieta habitual.

Para Michele Simon, advogada especialista em saúde pública, a estratégia daCoca Cola é uma "resposta direta" às perdas da companhia. A Coca Cola fez um investimento substancial na nova associação sem fins lucrativos: só no ano passado, para formalizar a Global Energy Balance Network, a empresa deu 1,5 milhões de dólares.

RECOMENDADO: