Cargos de confiança na prefeitura de Foz do Iguaçu pode estar ligado ao nepotismo


Cargos de confiança na prefeitura de Foz do Iguaçu pode estar ligado ao nepotismo

O vereador Paulo Rocha que faz discursos moralistas na Câmara Municipal, não pensou duas vezes para aceitar cargos de confiança na prefeitura para seus dois filhos.

A questão é que o nepotismo sempre é ligado a escândalos de corrupção. Os dois filhos do vereador foram nomeados em cargos de confiança, sem necessidade de passar pelo concurso público.
"A lei permite ao prefeito este tipo de nomeação, porém, por se tratar de filhos do vereador, o caso pode ser interpretado como suposto nepotismo." Tribuna popular
Como nenhum político acredita no que diz, fica sempre surpreso ao ver que os outros acreditam nele. Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.

O prefeito no discurso diz uma coisa, mas na prática faz outra. Ele anunciou corte nos cargos comissionados e o Tribuna foi o primeiro a alertar que o projeto do prefeito não seria válido para esse ano, nem para o ano que vem. É só para 2017, ou seja, na próxima gestão.

Paulo Rocha também é suspeito de usar um carro da Câmara Municipal para fazer viagens de interesse particular. Segundo a 6ª Promotoria de Justiça, o caso ocorreu duas vezes em 2013. Paulo Ricardo da Rocha (PSB), que na época era presidente da Casa, respondem a uma ação civil pública por improbidade administrativa.

Conforme a promotoria, além de usar o veículo público, Rocha ainda teve passagens aéreas custeadas pela Câmara Municipal durante uma viagem a Curitiba, no mesmo ano, para participar de evento na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP).
Ainda segundo o jornal "O salário normal de um ASS-1, equivalente a secretário adjunto, com os 60% de gratificação, é de R$ 6.129,93 (valores brutos). É tudo pago com dinheiro público. Lembrando que na Câmara, além do salário de R$ 9.082,13 cada vereador tem direito a nomear quatro assessores com salários de R$ 6.806,66 cada um."
O Ministério Público da cidade pode chamar o vereador para dar explicações, uma vez que a cidade passa por uma enorme crise na saúde enquanto filhos de pessoas envolvidas na política fazer a festa com o dinheiro da população. A população de Foz do Iguaçu deve pedir mais explicações e até sair para fora de suas casas e exigir a redução dos salários dos vereadores e de seus assessores também.

O prefeito também assinou um decreto proibindo que qualquer servidor forneça informações para órgãos externos, principalmente a imprensa. 

Reni Pereira é o prefeito da cidade ele foi eleito, com 75.289 dos votos. Reni foi o campeão de gastos na Assembleia Legislativa em 2011, só em combustível, R$ 49.1 mil, ele também esteve entre os investigados da Operação Gafanhoto promovida pela Polícia Federal e o Ministério Público na Assembléia Legislativa do Paraná.