Tariq Ba-Odah preso em Guantánamo nunca foi acusado de um crime


Tariq Ba-Odah preso em Guantánamo nunca foi acusado de um crime

Tariq Ba-Odah, um detento no estabelecimento prisional dos EUA na Baía de Guantánamo, nunca foi acusado de um crime. 

Ba-Odah entrou em greve de fome há oito anos para protestar contra sua detenção por tempo indeterminado, bem como o tratamento brutal que ele é acusado de ter sofrido nas mãos de seus captores.

Agora, um homem de 36 anos de idade, Ba-Odah pesa menos de 75 libras. Apesar de ter sido liberado por um conselho de revisão multi-agência, em 2009, ele permanece atrás das grades com sua libertação ainda um assunto de disputa legal pela administração Obama. Em resposta à sua condição física se deteriorando rapidamente, seus advogados entraram recentemente uma petição de habeas corpus, citando as obrigações legais do governo os EUA a libertar os presos gravemente doentes.

Mais - Hillary Clinton rebate Jeb Bush sobre Iraque e Estado Islâmico

Na semana passada, os advogados do Departamento de Justiça solicitaram uma prorrogação no prazo para responder ao seu habeas arquivamento. A New York Times publicou um artigo na época citando um conflito interinstitucional entre o Departamento de Estado e o Departamento de Defesa no caso de Ba-Odah. Um artigo publicado segunda-feira pelo Daily Beast, citando fontes anônimas da Casa Branca, pretendia explicar a natureza dessa disputa ainda mais, o que sugere que o secretário de Defesa Ash Carter está se recusando a assinar ordens de libertação para os 52 prisioneiros, não querendo assim assumir a responsabilidade por suas possíveis ações futuras.

Se Jeb Bush irmão de G.W. Bush for eleito a prisão na Baía de Guantánamo nunca vai ser encerada e as torturas vão continuar.