A foto que se tornou um símbolo da crise migratória na Europa


A foto se tornou um símbolo da crise migratória na Europa

O pai de Aylan Kurdi, o menino sírio de três anos que foi encontrado morto em uma praia da Turquia e cuja foto se tornou um símbolo da crise migratória na Europa.

Ele perdeu também a mulher e outro filho de cinco anos no naufrágio. Abdullah Kurdi falou à a agencia de notícias turca Dogan sobre a tragédia: "Meus filhos escorregaram das minhas mãos", disse.
"Tínhamos jalecos salva-vidas, mas o barco afundou porque vários se levantaram. Carreguei a minha mulher nos braços. Mas meus filhos escorregaram das minhas mãos", contou ele.
A foto que se tornou um símbolo da crise migratória na Europa

Ele disse que a família pagou para atravessar da Turquia para a ilha grega de Kos duas vezes. “Numa delas, os guardas nos pararam. Aí fomos libertados. Da segunda vez, or organizadores não cumpriram com a promessa e não trouxeram o barco. Aí conseguimos um barco por nossos próprios meios. Mas depois de navegarmos 500 metros, começou a entrar água. Nossos pés ficaram molhados. Criou-se um pânico", contou à agência turca.

'Fiquei petrificada', diz fotógrafa que fez imagem de menino sírio morto - Globo

Abdullah e a família tentavam reencontrar parentes no Canadá embora o pedido de asilo tivesse sido negado, de acordo com o site "National Post".