Samsung é processada por mentir sobre memória em smartphones


Samsung é processada por mentir sobre memória em smartphones

Que os smartphones da Samsung lançados no mercado oferecem uma quantidade de memória inferior ao que é alegado pelas fabricantes não é novidade para ninguém.

Quando você compra um celular com 16 ou 32 GB, por exemplo, é normal que uma pequena quantidade já venha ocupada pelo sistema operacional e os aplicativos nativos. Isso pode incomodar alguns, mas não chega a ser nada demais, exceto quando uma quantidade muito pequena de memória disponível é oferecida aos usuários.

Mais - Apple pode desistir de um dos ícones do iPhone o botão “home”

A PROTESTE, órgão que cuida dos direitos dos consumidores, acredita que tal prática é abusiva. Quando alguém compra um celular com 16 GB de memória, o usuário deveria ter toda essa quantidade de espaço disponível. Em muitos casos chegamos a ver algo em torno de 25% a menos do que é anunciado pela fabricante. Sabemos que toda empresa parte desta prática, mas o PROTESTE resolveu abrir um processo contra a Samsung por mentir nas especificações técnicas de seus aparelhos.

O Galaxy A3 e Galaxy A5 de 16 GB oferecem apenas 11,5 GB de armazenamento, o que representa uma perda de 28%! Realmente ter uma redução tão grande poderá ser irritante para muitos, mas este nem é o pior caso analisado.

O Galaxy S4 mini que vem apenas com 8 GB de memória e tem 2,61 GB ocupado pela TouchWiz, deixando apenas 5,39 GB para o usuário. Isso representa uma perda de absurdos 33%! Galaxy S5 com 16 GB oferece apenas 11,7 GB (27% a menos do divulgado) e o Galaxy S6 com 32 GB oferece 24,7 GB para o usuário (23% a menos do total). Como pode ser visto, a linha Galaxy consome, em média, 25% da capacidade do seu smartphone. Realmente é uma quantidade muito grande perdida, o que faz a PROTESTE ter razão em processar a fabricante por “propaganda enganosa”.

O PROTESTE abriu o processo com base no código de defesa do consumidor alegando que tais aparelhos apresentam problema de “vício oculto”. Como dito no começo da matéria, esta é uma pratica que pode incomodar muita gente, mas não é apenas a Samsung que abusa dela. Por que será que o órgão não incluiu outras empresas do ramo? Se o processo chegar a acontecer, o PROTESTE espera que as fabricantes sejam mais honestas e informem exatamente a quantidade de memória disponível. No entanto, ainda não há uma previsão para a análise do processo.