Espião israelense Jonathan Pollard é solto depois de 30 anos


Espião israelense Jonathan Pollard é solto depois de 30 anos

Jonathan Pollard agora com 61 anos, passou metade de sua vida na prisão. No início desta sexta-feira, ele foi posto em liberdade depois de cumprir 30 anos.

Mas Pollard e seus advogados estão desafiando as condições de sua liberdade condicional em um tribunal federal de Nova York, chamando-os de "irracional e ilegal", de acordo com um comunicado divulgado.

Estados Unidos libertam espião Jonathan Pollard - Observador‎

Pollard obteve um emprego no departamento financeiro de uma empresa de investimento em Nova York. Os advogados argumentam que o necessário "acompanhamento irrestrito e inspeção dos [seus] computadores, bem como os de qualquer empregador que escolha contratá-lo" é injusto.
Pollard interagia com funcionários do alto escalão da inteligência israelense e deu-lhes várias malas de documentos confidenciais sobre adversários árabes e apoio militar que recebeu da União Soviética, no decurso de um ano e meio de contatos com Israel. O relatório da CIA disse que o caso de Pollard "tem poucos paralelos entre conhecidos casos de espionagem norte-americanos" e que ele tinha "colocado à inteligência dos EUA em importante risco."
Pollard confessou culpado de uma acusação de conspiração para cometer espionagem. Três dias depois, ele e sua esposa, Anne Henderson Pollard, foram presos do lado de fora da embaixada israelense em Washington depois de a embaixada se recusar a aceitar o seu pedido de asilo, de acordo com a CIA.