Apple se opõe ao plano do Reino Unido para expandir vigilância on-line


Apple se opõe ao plano do Reino Unido para expandir vigilância on-line

A Apple alertou que um plano britânico para dar as agências de inteligência poderes extras de vigilância on-line poderia enfraquecer a segurança dos dados pessoais de milhões de pessoas e paralisar o setor de tecnologia.

A Grã-Bretanha divulgou uma propostas de novos poderes on-line no mês passado e disse que são necessárias para manter o país a salvo de criminosos, fraudadores e militantes.


Os críticos dizem que a investigação no entanto dá a espiões britânicos autoridade além daqueles disponíveis em outros países ocidentais, incluindo os Estados Unidos, e que constitui um ataque à liberdade pessoal.
"Nós acreditamos que é errado enfraquecer a segurança para centenas de milhões de clientes cumpridores da lei...", disse a Apple.
A Apple apresentou sua resposta a uma comissão parlamentar britânica que está examinando o novo projeto de lei no último confronto entre os governos ocidentais que buscam controlar a ameaça de militantes islâmicos e empresas on-line que trabalham para manter a segurança.