Demanda por iPhone diminui e Apple tem queda de 11 por cento


Demanda por iPhone diminui e Apple tem queda de 11 por cento

As ações da Apple registraram uma queda de 11 por cento desde o último relatório de lucros, em outubro, devido aos temores de que as vendas de iPhone tenham despencado repentinamente.

A empresa mais valiosa do planeta está ficando mais dependente do iPhone para crescer, apesar de a linha de produtos ter aumentado no ano passado com a inclusão do Apple Watch, a nova Apple TV e a Apple Music.

Resultados decepcionante poderia reafirmar a crença de que estamos sofrendo de estagnação, o que significa que novos telefones já não nos excitam e que estamos cada vez mais contentes com aquele aparelho que já possuímos.

Os analistas agora esperam que as vendas do iPhone possam subir apenas 2,8 por cento ante o ano anterior, para 76,5 milhões de unidades, abaixo da previsão anterior de 78 milhões de unidades, segundo a Fortune. Muitos acreditam que as vendas unitárias poderia realmente declinar no trimestre encerrado em março e em todo o ano fiscal, o que marcaria a primeira vez que as vendas do iPhone caíram desde que a Apple começou a vender o aparelho em 2007.