Morre aos 88 anos Marvin Minsky


Morre aos 88 anos Marvin Minsky

Morre aos 88 anos Marvin Minsky, cientista e filósofo que defendia a ideia de que robôs vão superar humanos ele também foi o pioneiro da inteligência artificial.

O MIT anunciou na noite de segunda-feira (25) a morte de Marvin Minsky, considerado pela entidade um dos pais da inteligência artificial.

O matemático e cientista da computação havia sofrido uma hemorragia cerebral e morrido no dia anterior no Hospital Brigham and Women’s, de Boston.

"Minsky enxergou o cérebro como uma máquina cujo funcionamento pode ser estudado e replicado em um computador, algo que nos ensinaria, em contrapartida, a compreender melhor o cérebro humano e as funções mentais de alto nível", afirmou um comunicado do instituto.

Após estudar em Harvard e Princeton, duas das universidades mais prestigiadas dos EUA, o matemático começou a trabalhar no MIT em 1958. Ali, criou pela primeira vez mãos robóticas capazes de manipular objetos, criou softwares para simular raciocínio humano e escreveu livros sobre implicações filosóficas da inteligência artificial.

Minsky também foi pioneiro na criação das chamadas "redes neurais", sistemas de processamento inspirados na biologia do cérebro.