Mark Zuckerberg está do lado da Apple


Mark Zuckerberg está do lado da Apple

Mark Zuckerberg está do lado da Apple, mas ainda não tem certeza do que ele faria se o FBI lhe pedisse ajuda para quebrar a criptografia de um cliente.

O CEO do Facebook deu seus pensamentos sobre uma variedade de tópicos em uma conversa na segunda-feira, fechando o primeiro dia do Mobile World Congress em Barcelona.

Atormentado por problemas de som durante todo o tempo, Zuckerberg sentiu-se visivelmente desconfortável no palco, mesmo comentando sobre sua transpiração várias vezes ("Eu não posso controlar isso", disse ele). Mas mesmo assim ele continuou, seu objetivo foi claro, entregar uma mensagem sobre a miríade de formas em que ele está tentando fazer do mundo um lugar melhor.

"É uma loucura que estamos sentados aqui em 2016, enquanto 4 bilhões de pessoas não têm acesso à Internet", disse Mark Zuckerberg, comentando a iniciativa do Internet.org.

Uma área em que Zuckerberg foi um pouco menos clara foi a pergunta sobre sua posição ao pedido do FBI para a Apple ajudar a decifrar um iPhone de um dos atiradores de San Bernardino. "Estou solidário com a Apple", disse Zuckerberg, a "criptografia não deve ser bloqueada. Mas temos uma grande responsabilidade em prevenir o terrorismo, e nós queremos ajudar os governos a prevenir o terrorismo pelo mundo."