Obama pode fechar Guantánamo hoje



Manter a prisão militar de Guantánamo aberta é "contrária aos nossos valores," o presidente Obama disse nesta terça-feira, quando ele lançou um plano que analisou 13 locais potenciais para a transferência de suspeitos de terrorismo, mas não propôs qualquer local específico ainda.

O plano tem três elementos além do fechamento da prisão, disse Obama. Mais detidos serão transferidos com segurança, revisando a ameaça representada pelos detentos que não são elegíveis para transferência, e identificar aqueles elegíveis para julgamentos militares.

"Este plano tem todo o meu apoio", disse Obama.

O plano, divulgado hoje pela manhã, antecipa que um "número limitado" de detidos não serão elegíveis para transferência para outros países.

Baía de Guantánamo, localizada no extremo leste de Cuba, tem presos alojados levados a cativeiro na guerra contra o terror em 2002. A base em solo cubano mantida pelos Estados Unidos tem um contrato de arrendamento de 113 anos.

Dos 91 detidos restantes, 35 são elegíveis para serem transferidos para outros países, desde que esses países possam demonstrar que eles podem segurar os prisioneiros sem risco. Outros 10 aguardam julgamento por um tribunal militar, e 46 ainda estão sendo avaliados.

A lei atual proíbe o presidente de transferir o presos de Guantánamo para solo norte-americano, onde há apenas um punhado de prisões de segurança máxima considerado adequado para abrigá-los.