Por que o mundo todo detesta a Monsanto?


Por que o mundo todo detesta a Monsanto?

Por que o mundo todo detesta a Monsanto?  Para começar Monsanto é a líder mundial na produção do herbicida glifosato, vendido sob a marca Roundup. Por tanto Monsanto é a marca oficial da morte.

Roundup, como carro-chefe da Monsanto. É o herbicida, que combate ervas daninhas, mais utilizado no mundo todo. O Brasil não é exceção. “O Brasil rega o país com Roundup e depois consome os alimentos regados com ele”.

A forma como existem, praticamente, apenas transgênicos pesticidas, ou seja, transgênicos que produzem, eles mesmos, agentes nocivos aos insetos. A Monsanto é responsável por cerca de 90% dos transgênicos do mundo. Além disso, há também plantas modificadas pela Monsanto Roundup Ready, que apresentam uma tolerância maior ao Roundup, resistindo a ele enquanto ervas daninha, por exemplo, não resistem. Dessa forma, os agricultores podem aplicar o pesticida sem danificar a colheita, o que aumenta as vendas do herbicida.

Mais coisa que levam a marca Monsanto! 

Hormônios bovinos que são injetados em vacas com a finalidade de aumentar a produção de leite. Segundo especialistas, isso gera a necessidade de um maior uso de antibióticos. Entre 1994, quando o hormônio começou a ser utilizado, e 2002, teria havido um aumento de cerca de 55% na taxa de câncer de mama entre as americanas com mais de 50 anos. O mesmo hormônio é utilizado no Brasil.

Segundo a organização não governamental Action Aid, em relatório divulgado durante o Fórum Social Mundial de 2005, a Monsanto estava contribuindo para o crescimento da fome e da miséria no mundo, ao controlar grande parte do comércio internacional de alimentos e produtos agrícolas. Segundo o relatório da Action Aid, em 2004 cinco empresas controlavam 90% do comércio mundial de grãos, e seis empresas controlavam 75% do mercado global de pesticidas. Corporações transnacionais como a Monsanto, dominavam as cadeias de suprimento de alimentos e produtos agrícolas - desde as sementes até as prateleiras dos supermercados.

Uma matéria publicada pela rede canadense CBC News em maio de 2004, agricultores que compravam sementes transgênicas da Monsanto eram proibidos de guardar parte da colheita para replantio dessas sementes. Para garantir que isso não ocorresse, a empresa mantinha uma polícia genética, que investigava denúncias de "casos suspeitos", inspecionando fazendas, para coletar amostras de plantas e sementes. No Canadá e nos Estados Unidos, mesmo os agricultores que jamais compraram sementes da Monsanto eram investigados por essa "polícia genética", e vários desses agricultores foram processados, já que a "polícia genética" da Monsanto conseguia entrar em suas propriedades, em busca de provas do uso não autorizado de sementes patenteadas pela empresa.

A foto acima é de sua família depois de alguns anos comendo alimentos com Roundup.