Bélgica rejeita ligações terroristas no assassinato de segurança de instalação nuclear


Bélgica rejeita ligações terroristas no assassinato de segurança de instalação nuclear

Um segurança que trabalhava em uma usina nuclear na Bélgica foi assassinado na última quinta-feira (24) e teve seu cartão de acesso ao local roubado, informou neste sábado (26) o jornal "La Dernière Heure", que alerta sobre a possibilidade de a ação ter sido cometida por terroristas.
O jornal afirma que o segurança, que estava passeando com seu cachorro, foi morto na tarde de quinta-feira em Charleroi, no sul da Bélgica, dois dias depois dos atentados de Bruxelas. E seu cartão, que dá acesso a áreas restritas da usina, teria sido roubado.

O "La Dernière Heure" informou que as autoridades rapidamente tomaram as medidas necessárias para desativar o cartão.

A justiça belga descartou, neste sábado, possíveis ligações terroristas com no assassinato do agente de segurança que trabalhava numa instalação nuclear em Froidchapelle, no sul da Bélgica, na noite da quinta-feira.

A ligação com o terrorismo foi formalmente descartada, referiu a agência de notícias belga, citando o ministério público de Charleroi, no sul do país.