FBI pode não divulgar como ele desbloqueou o iPhone


FBI pode não divulgar como ele desbloqueou o iPhone

FBI pode não divulgar como ele desbloqueou o iPhone do caso San Bernardino.

O FBI pode ser autorizado a reter informações sobre como ele invadiu um iPhone pertencente a um homem armado no tiroteio de dezembro em San Bernardino, apesar de uma política do governo dos Estados Unidos de revelar falhas de segurança de tecnologia descobertos por agências federais.

A Apple disse que gostaria que o governo compartilhasse como ele rachou as proteções de segurança do iPhone. Mas o FBI, que se frustrou por sua incapacidade de acessar dados em telefones criptografados pertencentes a suspeitos de crimes, pode preferir manter em segredo a técnica que se usou para ter acesso ao telefone do atirador Syed Farook.

O árbitro é provável que seja um grupo formado na Casa Branca durante a administração Obama para rever as falhas de segurança de computadores descobertos por agências federais e decidir se devem ou não serem divulgados.

Especialistas disseram que a política do governo sobre estas revisões não eram claras, de modo que era difícil prever se seria necessária uma revisão. "Não há regras rígidas e rápidas", disse  o coordenador de cibersegurança Michael Daniel, em um post 2014 blog sobre o processo.

Se a revisão for conduzida, muitos pesquisadores de segurança esperam que o grupo da Casa Branca não iriam exigir que o FBI revelasse a vulnerabilidade explorada.

Alguns especialistas disseram que o FBI pode ser capaz de evitar uma revisão por completo, se, por exemplo, ele passou pela última criptografia do telefone usando a tecnologia de propriedade de um empreiteiro.