O infame jornal Charlie Hebdo volta a atacar o Islã


O infame jornal Charlie Hebdo volta a atacar o Islã

A infame jornal satírico Charlie Hebdo sugere que atentados na Bélgica são "parte visível de um iceberg muito grande".

Os editores do satírico francês Charlie Hebdo estão enfrentando críticas por um artigo ligando os ataques terroristas de Bruxelas aos muçulmanos comuns na Europa.

O jornal que sofreu um ataque terrorista em 07 de janeiro de 2015 deu sua resposta aos atentados na Bélgica há duas semanas, que mataram 32 pessoas.

"Na realidade, os ataques são apenas a parte visível de um iceberg muito grande, na verdade", o artigo sugere, antes de descrever que um ataque terrorista é como o "fim de uma linha filosófica" para uma sociedade que tolera mulheres vestindo burcas ou padeiros que não ofereçam presunto ou bacon.

O editorial Charlie Hebdo defendeu calmamente que a presença visível de muçulmanos em público é uma forma de terrorismo.

Charlie Hebdo ofendeu o Islã novamente, mas agora não há mais nuance ou sátira. Sua postura é perigosamente clara.