Gazeta do Povo aderiu a cobrança abusiva por conteúdo online



Gazeta do Povo declarou que a era da notícia online gratuita no Paraná tinha acabado.

A principal evidência de que a política editorial vigente na maioria dos jornais espalhados pelo mundo está fadada ao fracasso porque ignora o novo contexto informativo criado pela internet.

A Gazeta do Povo sofreu uma dura reprovação por parte dos leitores que não podem pagar por conteúdo online. Some isso a uma enorme perda financeira, a Gazeta do Povo se comprometeu a sacudir a indústria de jornais no Paraná através da introdução de taxas por acesso ao site.

Agora um leitor da Gazeta é obrigado a pagar pelo acesso ao site do jornal online para saber o resultado de um jogo, a previsão do tempo ou para se informar sobre a greve no transporte coletivo, que anda em alta em Curitiba. Também terá que pagar para ler sobre o escândalo político da semana em Brasília.

Apenas o Wall Street Journal cobrava uma taxa por acesso online e, mas Gazeta do Povo não é WSJ, até recentemente, a sabedoria recebida na indústria editorial era de que os leitores não pagariam para ler notícias na internet.

The New York Times anunciou que quase todo o seu material online agora seria livre. FT.com também mudou seu sistema de livre acesso para os visitantes ocasionais.

A teoria é que as receitas de publicidade ultrapassará a receita de assinatura.

Então, essa é a morte dos jornais por assinatura? Bom, a disponibilidade de tanto jornalismo online gratuito condena jornais como Gazeta do Povo.

Muito dos jornais que resolveram cobrar pelo acesso ao seu noticiário online se deram mal e voltaram atrás.