Criptografia no Telegram está com os dias contados


Criptografia no Telegram está perto do fim

O aplicativo de mensagens seguro que é frequentemente usado por membros do ISIS e apoiantes para se comunicarem poderá em breve ter um backdoor embutido para espiões russos.

Isso é devido a um recente projeto de lei "anti-terrorismo" aprovada pela Duma russa que é esperado que se transforme em lei, de acordo com o The Daily Dot.

Uma vez promulgada, a lei exige especificamente que empresas de software que operam na Rússia possam construir soluções para criptografia que permitem aos espiões do FSB (equivalente à CIA) saberem o conteúdo de qualquer mensagem enviada. O não cumprimento significaria uma multa de até 15.000.

WhatsApp e Telegram provavelmente vão ter que tomar uma decisão: Continuar permitindo que seus aplicativos possam trabalhar no país - e construir um backdoor que enfraqueça seu software - ou encerrar o acesso a ele para usuários russos.