O Pentágono quer desenvolver tecnologia para rastrear e identificar hackers


O Pentágono quer desenvolver tecnologia para rastrear e identificar hackers

Sem análise e algoritmos adequados, a vigilância em massa não é a resposta para o combate ao terrorismo e acompanhamento de suspeitos. Isso é o que o presidente Obama tinha dito no ano passado, quando ele assinou a Lei da liberdade dos EUA, que terminava a coleta em massa de dados de telefone domésticos por agências de inteligência dos Estados Unidos. Mas não tenha dúvida de que o governo dos EUA ainda está recolhendo uma grande quantidade de dados do seu smartphone todos os dias, seu aparelho na maior parte do tempo está conectado à internet das coisas, mas ... Será que eles têm capacidade suficiente para prever e identificar terroristas, criminosos e hackers? 

Agora, o Pentágono quer uma melhor maneira de não só identificar o hacker mal-intencionado, mas também procurar algoritmos práticos que podem prever onde aquele hacker pode atacar em seguida. (DARPA) está oferecendo financiamento para pesquisadores de segurança que podem ajudar a agência a desenvolver algoritmos que podem identificar hackers. Embora as organizações e países dão o seu melhor para identificar ataques cibernéticos que se infiltraram em sua infra-estrutura crítica, rastrear os culpados sempre foi uma tarefa difícil - graças ao TOR, (VPNs), e outros métodos utilizados para ocultar a origem do ataque. No entanto, através desta nova iniciativa, a agência de pesquisa militar dos Estados Unidos DARPA espera que as agências rapidamente possam rastrear e identificar hackers mais sofisticados ou grupos criminosos, monitorando seu exato comportamento por biometria física.

Em outras palavras, o novo programa não só irá ajudar o governo a caracterizar o criminoso cibernético, mas também compartilhar o modus operandi do criminoso com vítimas potenciais e prever o próximo alvo do atacante.