Bilionário chinês esconde 6 por cento de alumínio do mundo em deserto mexicano


Liu Zhongtian

Uma pilha enorme de alumínio que supostamente ficou lá, sem uso, no deserto mexicano por anos.

Para começar, alguns antecedentes: o crescimento do setor industrial da China tem sido difícil para os produtores de alumínio nos Estados Unidos. Em 2000, havia 23 fundições que operavam em todo o EUA, agora existem apenas cinco.

Assim, quando um executivo do alumínio chamado Jeff Henderson ficou sabendo de uma reserva gigante de alumínio logo abaixo da fronteira dos Estados Unidos com o México, ele decidiu mandar um avião para verificar.

São 6 por cento de alumínio do mundo, que vale cerca de 2 bilhões de dólares o suficiente para fazer 77 bilhões de latas de cerveja, de acordo com o jornal.

A revelação levou a tensões entre as autoridades comerciais dos EUA e da China, os executivos da indústria dos EUA insistem que o metal está ligado a Liu Zhongtian, que dirige China Zhongwang Holdings, uma enorme empresa de alumínio industrial.

A ideia era passar o alumínio através do México para os EUA onde poderia se beneficiar das disposições do Acordo Norte-Americano de Livre Comércio.

"Essas coisas não têm nada a ver comigo", disse Liu ao jornal, embora os resultados da investigação põe em causa esta afirmação.

A fabricação de alumínio é subsidiado na China, e por isso as empresas chinesas foram capazes de minar os produtores dos Estados Unidos; os Estados Unidos responderam pela criação de tarifas para fazer o alumínio doméstico mais atraente.

O encaminhamento de alumínio chinês através do México foi uma maneira de contornar essas tarifas.

A coisa toda começou a dar errado quando um dos supostos parceiros de negócios de Liu Po-Chi "Eric" Shen, começou a ganhar a atenção sobre algumas de suas práticas irregulares, o que o jornal destacou e incluiu são seus gastos duvidosos, mais de 70 milhões em diamantes vermelhos e Ferraris raras.

O relacionamento teria se deteriorado rapidamente - Shen fez manchetes em 2014, quando ele destruiu um carro esportivo de Liu enquanto estava de férias na Itália.

O metal pode nunca mais voltar para os Estados Unidos, na verdade, existem atualmente planos para enviá-lo de volta para a Ásia, desta vez para o Vietnã.

RECOMENDADO: