Na linha de frente: CIA no Afeganistão


Na linha de frente: CIA no Afeganistão - MichellHilton.com

HISTÓRIA CONTADA PELA CIA: "Esta implantação rápida foi possível porque a CIA tinha desenvolvido e nutrido relações com a Aliança do Norte afegã por vários anos antes de 11/9. Devido a isso, e um esforço persistente, os agentes da CIA sabiam a língua, a história e a cultura da região e estavam em posição de se mover rapidamente contra os fundamentalistas."

HISTÓRIA REAL: A CIA falhou com todos os bravos soldados que perderam a vida em sua missão no Afeganistão, colocando o chefe da tribo, Hamid Karzai, no poder que honrou seu acordo com o Talibã e só pensou em enriquecer a si mesmo e sua família. Você só precisa assistir a recente entrevista de Karzai na BBC Persian.

Vamos a tradução: "Nutrido relações com a Aliança do Norte".

"A CIA tinha bombeado salários em dinheiro de até 200.000 dólares por mês para Ahmed Shah Massoud, líder da Aliança do Norte, uma coalizão irregular de combatentes afegãos, muitos deles veteranos da guerra contra os soviéticos."

Uma série de equipes clandestinas da CIA que transportavam equipamento de interceptação eletrônica e quantidades relativamente pequenas de dinheiro - até 250.000 dólares - começou a visitar Massoud no vale do Panjshir. O primeiro grupo formal, de codinome NALT-1, voou em um dos helicópteros de Massoud de Dushanbe para o Vale do Panjshir em finais de 1997.

Massoud era o mais formidável comandante militar do Afeganistão. Um homem musculoso, com penetrantes olhos escuros, ele havia se tornado um líder carismático, popular, especialmente no nordeste do Afeganistão. Lá ele lutou e negociou com igual imaginação durante os anos 1980, puniu e forças de ocupação soviéticas. Ele era um estrategista impressionante, um estudante atento de Mao e outros líderes guerrilheiros.