Assad oferece perdão se os rebeldes deixarem Aleppo


Bashar al-Assad oferece perdão se os rebeldes deixarem Aleppo

Rebeldes escondidos em Aleppo podem sair com suas famílias se eles abaixarem as armas, o presidente Bashar al-Assad disse na quinta-feira, prometendo avançar com o ataque contra a maior cidade da Síria e recuperar o controle total do país.

A oferta da anistia segue após duas semanas de bombardeio pesado.

Lutadores aceitaram ofertas de anistia de governos semelhantes em outras áreas sitiadas nos últimos meses, nomeadamente em Daraya, subúrbio de Damasco, que esteve sob cerco durante anos até que os rebeldes se renderam em agosto.

No entanto, os rebeldes disseram que não tinham um plano para evacuar Aleppo, a última grande área urbana que eles controlam, e denunciaram a oferta da anistia como um engano.

O governo também enviou mensagens de texto aos telefones celulares de algumas dessas pessoas presas no setor sitiado, dizendo-lhes para repudiarem os combatentes em seu meio.

Em declarações à televisão dinamarquesa, Assad disse que iria "continuar a luta com os rebeldes até que eles deixem Aleppo. Eles têm que deixar. Não há outra opção."