Facebook, Instagram e Twitter contra a Geofeedia


Twitter e Facebook cortaram o acesso a algumas de suas informações da companhia de análise de dados que, segundo uma organização de defesa dos direitos civis dos Estados Unidos, ajudava a Polícia a monitorar manifestantes durante protestos

Twitter e Facebook cortaram o acesso a algumas de suas informações da companhia de análise de dados que, segundo uma organização de defesa dos direitos civis dos Estados Unidos, ajudava a Polícia a monitorar manifestantes durante protestos.

A American Civil Liberties Union (ACLU) "obteve documentos que mostram que Twitter, Facebook e Instagram deram acesso a dados de seus usuários à Geofeedia, o desenvolvedor de um produto de monitoramento de redes sociais vendido às forças da ordem como um meio para vigiar ativistas e manifestantes", afirmou a ONG, em um comunicado.

A Geofeedia afirma ter acesso a todos os dados que podem ser analisados e interpretados em função da localização de uma pessoa que publica uma mensagem, ou de outros fatores. Também afirma ser "a única companhia de monitoramento de redes sociais que tem associação com Instagram".