Perseguições políticas na Turquia de Erdogan continuam


A justiça turca declarou a prisão preventiva dos dois co-presidentes do principal partido pró-curdo da Turquia, o Partido Democrático dos Povos (HDP), no âmbito de uma investigação antiterrorista vinculada ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), informou a agência Anatolia

A justiça turca declarou a prisão preventiva dos dois co-presidentes do principal partido pró-curdo da Turquia, o Partido Democrático dos Povos (HDP), no âmbito de uma investigação antiterrorista vinculada ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), informou a agência Anatolia.

Poucas horas depois das prisões, ao menos nove pessoas, entre elas dois policiais, morreram em Diyarbakir na explosão de um carro-bomba em frente a um edifício da polícia nesta cidade, que também deixou mais de uma centena de feridos.

Um tribunal de Diyarbakir, no sudeste do país, decidiu declarar prisão preventiva contra Selahattin Demirtas e Figen Yüksekdag, assim como contra três deputados deste grupo, a terceira força parlamentar da Turquia, que foram detidos na noite de quinta-feira.