Erdogan: 'não haverá primeiro-ministro no novo sistema'



A Turquia vai desfazer-se do cargo de primeiro-ministro sob uma proposta apoiada pelo governo para um novo sistema presidencial, um ministro disse na quinta-feira.

Veysel Eroglu disse que haveria um e possivelmente dois vice-presidentes sob o presidente Recep Tayyip Erdogan no novo formato, que está prevista para ser submetido a um referendo no próximo ano.

"Não haverá ministério privilegiado no novo sistema", ele disse à agência de notícias estatal Anadolu.

"Em geral, há um presidente e ao lado dele, provavelmente, um vice-presidente como nos Estados Unidos. Podemos ter mais do que um vice-presidente", disse ele.

Erdogan, que foi eleito para o posto mais alto em 2014 depois de servir como primeiro-ministro há mais de uma década, está buscando uma presidência forte semelhante a França ou os Estados Unidos. Seu Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) precisa de pelo menos 330 votos no parlamento de 550 lugares para convocar um referendo para legislar as alterações.

Eroglu previu que o pacote proposto seria submetido a um referendo na próxima primavera com o apoio de deputados do Partido do Movimento Nacionalista (MHP).

Erdogan está sob fogo por aliados ocidentais por conta da sua repressão aos opositores na sequência de uma tentativa de golpe que falhou em julho.

MANCHETE SOBRE O ASSUNTO: Turkey to scrap PM in new system: minister