Digite algo e pressione enter

MichellHilton@Outlook.com
author photo
Por Em
No médio prazo (de 5 dias a 3 meses) a tendência de alta para os preços da VALE PNA (VALE5) também segue vigente, já que a ação continua formando topos e fundos cada vez em patamares mais elevados e apresenta as médias móveis ascendentes

No médio prazo (de 5 dias a 3 meses) a tendência de alta para os preços da VALE PNA (VALE5) também segue vigente, já que a ação continua formando topos e fundos cada vez em patamares mais elevados e apresenta as médias móveis ascendentes. Outro fator positivo é o indicador de Acumulação/Distribuição positivamente inclinado, o que demonstra que o volume financeiro segue sendo maior nos dias de alta do que nos dias de queda, reforçando a saúde da tendência de alta de médio prazo.

As ações da VALE5 conseguiram recentemente superar importante resistência na faixa de 27,50 com força e convicção, dando um forte sinal de predominância da força compradora e apontando para uma grande possibilidade de continuação da tendência de alta de médio prazo.

Entretanto, devido ao fato dos preços já terem subido muito e de forma muito rápida, a força compradora já se encontra um pouco “cansada”, o que pode gerar alguma correção no curto prazo antes da continuação das altas.

Caso os preços venham a cair aliviando o estado esticado para as cotações da empresa, é muito provável que a ação volte a subir depois de chegar na região de 27,50, já que neste patamar existem muitos investidores dispostos a comprar a ação, o que deverá inflar a demanda pela ação frente a oferta, fazendo com que os preços se valorizem dando continuidade à tendência de alta de médio prazo.

O cenário de crise econômica instaurada no Brasil, pouco afetou a Vale nesse primeiro semestre de 2016, isso porque a empresa maior exportadora de minério do Brasil, se beneficiou da alta do preço das commodities e o minério de ferro foi destaque com valorização de 40 por cento no 1S16, muito influenciado pela expansão de crédito na China que bateu recorde de emissão de bonds do governo, influenciando maiores investimentos no segmento de infraestrutura e mercado imobiliário.

A Vale (VALE5) tem uma exposição grande ao ritmo de crescimento da China, seu principal consumidor. A previsão para 2016/2017 é que o preço do minério de ferro se mantenha nos patamares atuais, devido à grande oferta no mercado com o crescimento na produção de minério de ferro pelas principais mineradoras, em um contexto em que a produção de aço na China não está a pleno vapor, o que deve provocar a manutenção do até o achatamento nos preços da comodity. Com esse cenário, a empresa conta com uma postura estratégica para enfrentar as incertezas, adotando como prioridade o fortalecimento do balanço juntamente com aumento do fluxo de caixa livre e também a redução de custos e despesas através da otimização dos principais negócios.

Do ponto de vista financeiro, a Vale reportou no 2T16, um lucro de 3,585 Bilhões, 30 por cento abaixo do mesmo período de 2015, impactado principalmente por perdas oriundas da Samarco. Uma melhora considerável no EBTIDA da empresa de 22 por cento, ajudado pela melhora nos preços das comodities e redução de custos. Sua divida liquida foi levemente reduzida de 27.661 bilhões de dólares, para 27.508 bilhões de dólares, enquanto custos e prazos se mantiveram. Em suma o resultado da empresa foi bom, com crescimento na produção de minério, redução dos custos e despesas e evolução significativa no seu principal projeto, S11D que atingiu 90 por cento na mina, 70 por cento avanço físico na logística e 92 por cento de avanço físico na ferrovia. A finalização desse projeto deixa a Vale (VALE5) em outro patamar de produção e melhora da margem frente a queda dos preços da comodity.

As principais preocupações estão em relação aos riscos envolvidos no acidente da Samarco, já que ações civis podem ganhar proporções não mensuráveis. Do ponto de vista operacional, a sequencia de números mistos em relação a indicadores econômicos da China e a fraca demanda podem pressionar as margens de lucro da empresa.

Apesar do cenário desafiador, entendemos que a Vale é uma empresa que tem uma gestão de alta qualidade e uma base de ativos que tem o potencial de continuar gerando alto valor a seus acionistas ao longo dos anos. Nesse sentido, mesmo diante dos fatores de risco comentados ao longo deste relatório, vemos uma tendencia de alta para VALE5. Especialmente, temos essa visão vez que avaliamos que seus múltiplos extremamente descontados em relação à média histórica têm espaço para ajuste positivo.