3 de mai de 2017

Tudo começou a fazer sentido para mim


Muitas pessoas olham para traficantes de drogas colombianos como monstros; Embora algumas de suas atrocidades sejam difíceis de entender, eu me vi observando o mundo da droga sob uma perspectiva inteiramente nova - uma das simples forças de oferta e demanda.

Se a Colômbia pode fornecer cocaína para a América por um preço mais baixo, isso significa que eles devem fornecer cocaína para a América do Norte. Por outro lado, se a América pode produzir caças por um valor menor, a América tem uma vantagem absoluta na produção e venda de caças para outros países e, portanto, deve fornecer caças.

Tudo começou a fazer sentido para mim.

Lembra-se da campanha "guerra contra as drogas" dos Estados Unidos na década de 1970? Percebi que comprar cocaína era economicamente o maior interesse da América. Ou seja, se os seus cidadãos vão usá-la de qualquer maneira, eles vão comprá-la onde é mais barato e melhor, assim, eles vão importá-la da Colômbia.

A guerra da América contra as drogas não tem nada a ver com a interrupção da importação ilegal, mas sim, o encarceramento dos usuários de drogas com fins lucrativos.

Pablo Escobar, o traficante de drogas mais famoso que já andou pelo planeta. Em meados dos anos 80, o cartel de Escobar fez cerca de 420 milhões de dólares por semana, que somam quase 22 bilhões de dólares por ano. Ou, 2.511.415 milhões por hora.