Tribunal turco condena repórter do WSJ

A Turquia não gostou do que o jornalista escreveu sobre o PKK, uma organização separatista curda.

A Turquia não gostou do que a jornalista escreveu sobre o PKK, uma organização separatista curda.

A repórter do Wall Street Journal, Ayla Albayrak, foi condenado por um tribunal turco a dois anos e um mês de prisão na terça-feira, na opinião do tribunal, ela "se envolveu em propaganda terrorista em apoio a uma organização separatista curda proibida no país", de acordo com o Journal. Albayrak está atualmente nos EUA e planeja apelar da decisão, diz o WSJ.

Turquia tem 188 jornalistas presos atualmente, superando qualquer outro país.