sábado, 30 de janeiro de 2021

A pilhagem silenciosa da Líbia

A Líbia sofre com disputas internacionais emaranhadas com caos e conflitos internos, que resultaram no adiamento deliberado de uma solução para a crise e na perpetuação do caos e pilhagem do dinheiro público.

A corrupção e a pilhagem atingiram níveis sem precedentes, com os tiranos que saquearam os cofres da Líbia e os que lucram com a crise. Eles exploram a crise na Líbia, buscando investir nela e até perpetuá-la. Um ex-enviado da ONU descreveu esse saque sistemático como a operação de saque (não mero roubo) mais extensa do mundo, com um novo milionário surgindo todos os dias na Líbia. Ele também destacou que o conflito não seria resolvido sem pôr fim ao saque de fundos públicos e à “economia paralela” que dela nasceu.

Alguns políticos estão trabalhando para manter as coisas como estão, na tentativa de impedir qualquer mudança no poder executivo e na realização de eleições, pois isso acabaria com seu acesso privilegiado aos cofres do Estado. Enquanto o Estado estiver ausente e forçado a ficar assim, o dinheiro da Líbia, congelado e descongelado, mesmo seus investimentos estrangeiros, continuará a ser saqueado, no que é uma crise de pilhagem sem precedentes.

Meio trilhão de dólares em receitas do petróleo foram gerados nos últimos anos e foram para “destinos desconhecidos”, confirmando saques sistemáticos.