domingo, 24 de janeiro de 2021

Irã agora está perseguindo o Bitcoin

NASSER KARIMI e ISABEL DEBRE para Associated Press:

A capital e as principais cidades do Irã mergulharam na escuridão nas últimas semanas, à medida que interrupções contínuas deixaram milhões de pessoas sem eletricidade por horas. Os semáforos morreram. Os escritórios ficaram escuros. As aulas online pararam. Ou seja, o país em caos ficou pior.

Com a poluição tóxica cobrindo os céus de Teerã e o país sofrendo com a pandemia e outras crises crescentes, a mídia social está repleta de especulações. Logo, dedos apontaram para um culpado improvável: Bitcoin.

Em poucos dias, o regime iraniano lançou uma ampla repressão aos centros de processamento de Bitcoin, que requerem uma quantidade imensa e constante de eletricidade para alimentar seus computadores especializados e mantê-los resfriados - um fardo para a rede elétrica iraniana.

As autoridades fecharam 1.600 centros em todo o país, incluindo, pela primeira vez, aqueles legalmente autorizados a operar. Como a última de uma série de movimentos governamentais conflitantes, a repressão gerou confusão na indústria de criptografia - e a suspeita de que o Bitcoin havia se tornado um bode expiatório útil para os problemas mais profundos do país.