sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Michell Hilton

Famosos vão ao funeral de Philip Seymour Hoffman

Depois do velório, familiares e famosos se despediram de Philip Seymour Hoffman no funeral do ator nesta sexta-feira, 7, em Nova York, na igreja St. Ignatius of Loyola na Avenida Park.


O evento foi fechado só para familiares e amigos íntimos.

As atrizes Cate Blanchett, Julianne Moore, Michelle Williams, Louise Parker, Meryl Streep e o diretor Spike Lee participaram da cerimônia desta sexta, além da ex-companheira de Hoffmann, Mimi O´Donnel, e dos três filhos dos dois, Cooper Hoffman, Willa Hoffman e Tallulah Hoffman. Na quinta-feira, 6, Mimi, os filhos e alguns amigos do ator participaram do velório em cerimônia realizada na casa funerária Frank E. Campbell.

Polícia investiga o caso

A polícia de Nova York está refazendo os passos de Philip Seymor Hoffman na sua última semana de vida para tentar encontrar alguma pista que indique onde ele adquiriu as drogas que foram encontradas em seu apartamento no domingo, 2, quando ele foi encontrado morto por um amigo.

No local os investigadores descobriram 50 envelopes do que acreditam ser heroína. Eles também acharam seringas usadas, drogas de prescrição médica e sacos vazios que, de acordo com a polícia, seriam usados para guardar a droga.

Presos se apresentam à justiça

Na quarta-feira, 5, os quatro presos, três homens e uma mulher, pela polícia em operação para tentar achar traficantes se apresentaram à Justiça. Segundo a agência Reuters, o sargento da polícia de Nova York Thomas Antonetti, sem vincular as prisões com a morte de Hoffman, identificou os quatro como Robert Vineberg, de 57 anos; Thomas Cushman, de 48; Max Rosenblum e Juliana Luchkiw, ambos de 22 anos.

Vineberg e Cushman foram acusados ​​de crime de posse ilegal de drogas e Rosenblum e Luchkiw de contravenção por porte de drogas, disse ele.

Sacos de droga teriam mistura letal

Havia uma agulha no braço esquerdo do ator, segundo a polícia, e oito sacos vazios usados para guardar heroína. As embalagens tinham estampas de um ás de espadas e um ás de copas. Segundo a polícia, essas "marcas" da droga geralmente indicam que nos sacos contêm uma mistura letal de heroína com fentanil, um opiáceo usado para aliviar a dor em pacientes com câncer.

Segundo a rede CNN, este tipo de "marca" não era encontrado em Nova York desde 2008, mas seu conteúdo já foi associado a mais de 100 mortes nos Estados Unidos.