sábado, 21 de junho de 2014

China usa 'House of Cards' para dizer que Ocidente é corrupto

Um artigo publicado no site da Comissão de Disciplina do Partido Comunista Chinês usou a premiada série House of Cards, produzida pelo Netflix, como exemplo da corrupção em países ocidentais, em especial os Estados Unidos.

Na série, o ator Kevin Spacey interpreta um político americano corrupto chamado Frank Underwood, que ganha espaço em Washington com táticas pouco republicanas. Como o programa faz sucesso entre os chineses, os burocratas locais resolveram mostrar que o enredo ficcional representa a política ocidental -- sem tirar nem por.

“Na verdade, se você analisar profundamente, vai descobrir que a corrupção nos países ocidentais desenvolvidos, como os EUA, é disseminada”, diz um trecho do artigo, assinado por Zhao Lin, membro de um grupo acadêmico ligado à comissão do partido. “Eles são menos íntegros do que se vangloriam”.

O artigo também cita o filme O Gângster (2007), que conta a história da ascensão de um traficante negro americano, como exemplo da podridão ocidental.

Segundo o The New York Times, o artigo é uma tentativa de afastar o foco da corrupção dentro da China, com a mensagem "Os ocidentais são tão ruins, ou até mesmo piores”.

A China consta em 173º lugar em ranking elaborado pela ONG Repórteres sem Fronteiras que analisa a liberdade de imprensa em 179 países. Mesmo com a censura, muitos veículos de imprensa chineses conseguem publicar histórias investigativas sobre autoridades corruptas. Citado pelo NYT, o jornalista Ji Shuoming afirmou que as novas regras vão dificultar a elaboração esse tipo de reportagem.




Comente com o Facebook: