segunda-feira, 21 de julho de 2014

Michell Hilton

Não trabalham, vivem do sobrenome e são instrumentos dos conservadores!

Não trabalham, vivem do sobrenome esses são os politicos brasileiros
Não trabalham, vivem do sobrenome esses são os politicos brasileiros
Bush Jr nunca trabalhou.

Arrocho Neves também não.

Bush Jr viveu do sobrenome.

Arrocho também.

Bush Jr andava no Palácio quando o Papai era presidente, e ninguém dava bola pra ele.

Arrocho também, quando Vovô mandava.

Bush foi viciado em bourbon.

Arrocho tem que enfrentar o tema da cocaína, na campanha de 2014, como exigiu seu dileto colega, Padim Pade Cerra.

Bush Jr governou o Estado do Texas, mas não fazia nada: só trabalhava à tarde e três dias por semana.

Arrocho governou Minas e sub-estabeleceu o Governo ao vice, Anastasia e à irmã, e vivia no Rio.

Quando faltou aos conservadores candidato à Presidência, uma operação de marketing construiu Bush Jr.

Arrocho também.

Bush Jr demonstrou que não entendia os programas de Governo: nomeava ministros que defendiam ideias contrárias às (poucas) dele, como foi o caso do Ministro da Fazenda.

Da Fazenda !

Arrocho já demonstrou que não entende de Mais Médicos, como disse a Dilma, nem das regras do Bolsa Família, como demonstra o Janio de Freitas, hoje, 20, só para dizer – ou seja, ignora os fundamentos daquilo que mais ataca e quer destruir.

Bush Jr era um instrumento dos neolibelês e dos beligerantes, os neocons, como o vice, Dick Cheney.

Arrocho não tem uma única ideia original na cabeça, a não ser , provavelmente, construir um aeroporto pro Titio, e, eleito, seria um instrumento dos mesmos neolibelês americanos, como Armínio Naufraga, instalados no pensamento dos tucanos, através de seu Líder Máximo, o Príncipe da Privataria.

(Quando disse que a Carta Capital apoia a Dilma, Mino Carta demonstrou que Arrocho e Dudu farão o papel de títeres da Direita.)

O Governo Bush levou o Império Americano à derrota militar e à ruína econômica.

Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que matou o Tuma e depois o ressuscitou; e que é o que é, porque o dono é o que é; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.



Comente com o Facebook: