sábado, 12 de julho de 2014

Michell Hilton

Wagner Moura é cortado de cartaz de Rio Eu Te Amo, após veto da arquidiocese


Se a igreja não pode Ganhar ninguém pode ...

Os nomes do ator Wagner Moura e do diretor José Padilha foram cortados do cartaz de divulgação de "Rio, Eu Te Amo". Isso aconteceu após a Arquidiocese do Rio de Janeiro ter vetado a presença do Cristo Redentor no curta-metragem feito por eles, que integraria o filme em homenagem à capital fluminense.

"Rio, Eu Te Amo" reuniria dez curtas feitos por diretores de diferentes nacionalidades. A história de Moura e Padilha seria uma dessas, mas, com o veto da Igreja, ficou de fora não só do cartaz, como também da produção. Sendo assim, o filme chegará aos cinemas apenas com nove tramas.

Explica-se: em "Inútil Paisagem", Moura interpreta um homem em crise existencial que, durante um voo de asa-delta, conversa com o Cristo Redentor sobre os pensamentos que o atormentam. Só que a arquidiocese, detentora dos direitos patrimoniais do monumento, proibiu o uso de sua imagem na produção.

"O monumento não é só um símbolo da cidade do Rio e do Brasil, mas um santuário que comporta, dentro da imagem, uma capela", explica a Igreja em nota. "A Arquidiocese do Rio de Janeiro comunicou à produtora ter constatado que as cenas produzidas atentariam contra a fé católica, caracterizando inclusive o crime de vilipêndio (desrespeito), razão pela qual recomendou fortemente a exclusão da cena".

"A arquidiocese ressalta que a decisão de não autorizar a veiculação das imagens não é uma forma de cerceamento à liberdade de expressão, mas, sim, um meio hábil de garantia da preservação da imagem religiosa e da fé".




Comente com o Facebook: