domingo, 17 de agosto de 2014

Ataque a centro de quarentena na Libéria traz revés na luta contra ebola

Um centro de quarentena usado por pacientes com suspeita de ebola foi atacado e saqueado por manifestantes armados em Monróvia, capital da Libéria, informa a polícia.

Teme-se que o incidente facilite a contaminação pelo vírus, já que lençóis saqueados podem estar infectados. Além disso, ao menos 20 pacientes, até então isolados, fugiram do local. Não se sabe se eles estavam de fato infectados pela doença.

Segundo um representante do Ministério da Saúde da Libéria, os manifestantes estavam insatisfeitos com o fato de pacientes de fora da capital estarem sendo tratados no centro de quarentena.

Mas há relatos de que os manifestantes acreditavam que a epidemia de ebola é um boato e queriam forçar o fechamento do centro.

O local havia sido montado para monitorar pacientes com suspeita de contaminação pelo ebola. Se essa suspeita fosse confirmada, os pacientes eram então levados a um hospital, disse Tolbert Nyenswah, ministro-assistente de Saúde.