segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Rio tem palanque para Lula defender a corrupção do PT na Petrobras!

Evento na porta da sede da estatal é marcado por tumulto e empurra-empurra. Ex-presidente discursou após uma série de lideranças sindicais

Rio tem palanque para Lula defender a corrupção do PT na Petrobras!

"Se houve erros, tem que investigar. Se for culpado, tem que ir para a cadeia". A frase dita nesta segunda-feira pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já não é novidade sempre que uma denúncia de corrupção bate à porta de governos do PT: foi assim na esteira do escândalo do mensalão - que, de fato, levou caciques do PT para a prisão - e agora se dá em meio aos detalhes que emergem do megaescândalo de corrupção na Petrobras, cujas engrenagens são expostas pelo ex-diretor Paulo Roberto Costa em acordo de delação premiada com a Justiça.

Também não é novidade a sequência do discurso: conforme as investigações avançam e deixam clara a profundidade dos escândalos, Lula afirma não saber de nada. Mais: volta-se contra aqueles que revelam os desmandos. Se para ele o mensalão nunca existiu - notícias sobre o esquema de compra de votos de parlamentares eram apenas tentativas de desestabilizar seu governo -, a Petrobras é hoje alvo de 'ataques'.

Após uma tumultuada caminhada no centro do Rio, com muito empurra-empurra, o ex-presidente discursou em um palco montado de frente para a sede da Petrobras, na Avenida República do Chile. O ato "não partidário", segundo o petista, tinha como ideia inicial comemorar o aniversário da estatal. "Depois, decidimos quer era preciso defender a Petrobras de ataques que ela vem sofrendo", afirmou Lula, para uma plateia de sindicalistas e trabalhadores que seguravam bandeiras de candidatos da base aliada do PT.

Para Lula, os milhares de trabalhadores da Petrobras não podem ser confundidos com quem tenha eventualmente cometido erros. "Se houve erros, tem que investigar. Se for culpado, tem que ir para a cadeia", disse o petista. "Fiz questão de vir com uma camisa da Petrobras, porque as pessoas estão com vergonha de vestir (uniforme da empresa) e parecer com alguém", acrescentou o ex-presidente, sem citar a quem se referia. Lula usou o microfone para se dirigir à presidente da Petrobras, Graça Foster. "Graça, você não tem nenhuma razão para não andar de cabeça erguida", disse.