sábado, 13 de setembro de 2014

Primeiro-ministro do Iraque pede para exército poupar áreas povoadas

O primeiro-ministro do Iraque, disse neste sábado que ele ordenou o Exército a parar de descascar áreas povoadas, realizada por militantes, a fim de poupar a vida de "vítimas inocentes", como as forças armadas lutam para retomar cidades e vilas apreendidos pelo extremista Estado Islâmico grupo neste verão.


"Eu emitiu esta ordem, há dois dias, porque nós não queremos ver mais vítimas inocentes que caem nos lugares e províncias controladas por Daesh", Haider al-Abadi, em entrevista coletiva em Bagdá, referindo-se ao grupo Estado Islâmico por seu acrônimo em árabe .

Ele acusou os militantes de usar civis como escudo humano para impedir o avanço das forças de segurança iraquianas. Mas ele prometeu continuar as operações militares contra o grupo separatista Al-Qaeda, que tomaram grandes áreas no norte e oeste em uma ofensiva sem precedentes junho.

"Vamos continuar a persegui-los (IS lutadores) e sabemos que eles estão se escondendo atrás dos civis", acrescentou.

O enviado das Nações Unidas ao Iraque, Nickolay Mladenov, que estava presente na conferência, congratulou-se o compromisso da al-Abadi para proteger os civis.

Táticas de mão pesada do Exército há muito tempo alimentou a ira entre a minoria sunita do país, levando muitos a acolher os insurgentes como libertadores quando eles invadiram áreas de maioria sunita no início deste ano. O governo liderado pelos xiitas está sob crescente pressão da comunidade internacional para alcançar ambos os sunitas e curdos, a fim de formar uma frente unida contra o ataque militante.

Também sábado, os militares dos EUA disseram que ele havia realizado dois ataques aéreos sexta-feira contra militantes Estado islâmico perto da barragem de Mossul.

Comando Central dos EUA disse que os ataques destruíram uma colocação de argamassa e um veículo armado, e elevou o número total de greves para 160 em todo o Iraque desde a campanha militar começou.

Tem algo a acrescentar a esta história? Compartilhe nos comentários.