sábado, 25 de outubro de 2014

Michell Hilton, Blog MichellHilton, tecnologia, notícias, mercado, mercado financeiro, economia, blog, noticias, noticias de tecnologia

Popular, atirador tinha sido eleito rei do baile

Alunos que estavam na cantina do colégio Marysville-Pilchuck, ao norte de Seattle, Estado de Washington, no momento em que um estudante abriu fogo contra os colegas, disseram que o atirador era um rapaz popular e que se dava bem com os outros jovens da escola.

Popular, atirador tinha sido eleito rei do baile

O atirador disparou aproximadamente seis tiros nas costas dos colegas, afirmou à rede CNN Jordan Luton, aluno que estava no local. A testemunha acrescentou que as vítimas eram amigos do atirador. "Isso não foi aleatório", acredita.

A imprensa americana identificou o responsável pelo ataque como Jaylen Fryberg, um novato que há exatamente uma semana foi eleito rei do baile da escola. Perfis do estudante em redes sociais indicam que ele era um americano com ascendência indígena e gostava de caçar. Também há informações de que ele fazia parte do time de futebol americano da escola.

Ele cometeu suicídio, segundo informação policial. As autoridades também confirmaram a morte de uma jovem vítima dos disparos. Há feridos em estado grave.

À rede NBC News, o aluno Austin Taylor disse que estava terminando de comer quando o ataque começou. Ele afirmou que o atirador não pronunciou nenhuma palavra antes de iniciar os disparos. “De repente, eu vi que ele levantou de onde estava e puxou alguma coisa do bolso. Eu vi três jovens caírem sobre as mesas”. O estudante disse que o atirador tinha o “olhar vago” e ficou apenas “observando as vítimas” antes de abrir fogo.

Adam Hoston, de 14 anos, estava deixando a cantina quando ouviu os tiros. “Todo mundo saiu correndo. Eu podia ouvir os disparos e meu coração estava muito acelerado. Eu não sabia para onde deveria ir. Alguém abriu uma porta e todos nós corremos para dentro de uma sala e ficamos esperando lá”, afirmou ao jornal The Seattle Times.

Brandon Carr, de 15 anos, que também faz parte do time de futebol americano, disse que, durante o treino de ontem, o colega estava bem. “Ele estava feliz, ouvindo música e dançando. Não sei o que aconteceu hoje”. Os dois acompanharam uma aula de inglês pouco antes do ataque e o colega percebeu que Fryberg estava “um pouco nervoso”.

Na tentativa desesperada de buscar uma explicação para esse tipo de ataque, surgiram relatos de que ele teria se envolvido em uma briga recente com outro jovem e também de uma desavença com uma ex-namorada.