quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Michell Hilton

Direitos humanos lançam Detekt ferramenta para detectar software de vigilância

Cada vez mais, os governos estão utilizando o software de espionagem poderosa para atingir ativistas e jornalistas de direitos humanos vítimas da guerra cibernética.
 
detekt

Agora, estas vítimas têm uma nova ferramenta para se proteger.

Chamado Detekt, ele verifica o computador de uma pessoa por traços de software de vigilância, ou spyware. Uma coalizão de organizações de direitos humanos, incluindo a Anistia Internacional e a Electronic Frontier Foundation lançaram Detekt na quarta-feira, com o objetivo de equipar ativistas e jornalistas com uma ferramenta gratuita para descobrir se eles foram hackeados.

"Nosso objetivo final é para que os defensores dos direitos humanos, jornalistas e grupos da sociedade civil para serem capazes de realizar seu trabalho legítimo sem medo de vigilância, assédio, intimidação, prisão ou tortura", a Anistia escreveu quinta-feira em um comunicado.

A ferramenta de código aberto foi desenvolvido pelo pesquisador de segurança Claudio Guarnieri, um pesquisador de segurança que vem investigando abusos do governo de spyware por anos. Ele frequentemente colabora com outros pesquisadores da Universidade de Toronto do Citizen Lab.

Durante as suas investigações, Guarnieri e seus colegas descobriram, por exemplo, que o governo do Bahrein usava software criado pela empresa alemã FinFisher para espionar ativistas de direitos humanos. Eles também descobriram que o governo etíope espionou jornalistas dos EUA e da Europa, usando o software desenvolvido por Hacking Team, outra empresa que vende ferramentas de vigilância.

"Eu decidi liberá-lo para o público, porque mantê-lo privada não fazia sentido", disse ele. "É melhor dar isso para mais pessoas quanto possível a oportunidade de testar e identificar o problema o mais rápido possível, em vez de manter esse conhecimento privado e deixá-lo apodrecer."




Comente com o Facebook: