quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Michell Hilton

Nielsen começará o rastreamento de audiência da Netflix

Nielsen começará o rastreamento de audiência da Netflix

Nielsen começará o rastreamento de audiência de streaming de redes, como Netflix e Amazon Prime a partir de dezembro.

Fazendo isto eles conseguirão arrastar empresas secretas para fora no aberto usando seus medidores baseados em casa para ouvir em áudio da TV, o Wall Street Journal gritou nesta terça-feira.

Netflix e seus rivais de streaming tem audiência nunca auto-relatado, e apesar de chegar a quase metade dos lares americanos este ano, nunca foram monitorados pela Nielsen.

Veja também: Bill Cosby acusações podem causar problemas para Netflix e NBC

Nielsen, que ainda puxa muito de seus dados a partir de caixas conectadas às TVs de vários milhares de "famílias Nielsen" em todo o país, vai usar Shazam-como reconhecimento de áudio via aquelas caixas para controlar fluxos, o WSJ informou - pelo menos aqueles que vêm através de aparelhos de televisão. Parece vistas em dispositivos móveis permanecerá em abstrato, por agora, mas a notícia ainda prediz uma mudança poderosa na batalha pela receita publicitária entre o cabo tradicional e da transmissão de empresas.

O papel chegou a sua conclusão, analisando os documentos de clientes da Nielsen, que incluem grandes empresas como Coca-Cola e gigantes da mídia como a Disney, CBS, NBC Universal e News Corporation. No início, apenas as redes de streaming seriam capazes de ver os seus próprios resultados, mas uma assinatura com os dados estarão disponíveis em breve, o Jornal relatou.

Até à data, streaming de negócios teria sido feito sem o benefício de dados de notação: Se Netflix, por exemplo, queria licenciar programas de TV ou filmes - ou fazer de talentos ou de produção as pessoas do outro lado da mesa, só poderia confiar no que eles estavam sendo informados sobre os globos oculares. O que é mais, as redes de suporte de anúncios, que contam com a Netflix para a receita a jusante, estavam no escuro sobre se ele estava comendo em seus próprios telespectadores.

Não mais ... a Nielsen deveria dar uma passada pelo Brasil! Não que alguém precisava de Nielsen para dizer-lhes o que estava acontecendo.




Comente com o Facebook: