sábado, 22 de novembro de 2014

Michell Hilton

Salgante um substituto do sal livre de sódio na sua composição

Salgante, vendido há mais de dez anos nos Estados Unidos, e livre de sódio na sua composição. 

salgante

Desde setembro deste ano, é possível encontrá-lo nas prateleiras brasileiras. Um pote de 100 gramas sai por 16,90 reais.

Aprovado no país pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em março deste ano, o ingrediente é formado principalmente de potássio – uma porção de 1,25 gramas (equivalente a 1/4 colher de chá), contém 0,55 mg de potássio, de acordo com a Anvisa. Para permitir sua venda nos mercados, o salgante foi avaliado pelo órgão como novo alimento, segundo as resoluções 16/99 e 17/99, por se tratar de uma classe de produto sem regulamentação específica – o que significa que é o único do gênero no país.

Cuidados — Por não conter sódio, composto que eleva a pressão arterial, o produto é vendido como uma forma alternativa para que hipertensos salguem os alimentos. Porém, estima-se que um terço dos pacientes hipertensos sofra de insuficiência renal. A ingestão em excesso do potássio é perigoso para pessoas com problemas no rim, uma vez que o órgão não consegue eliminar o excedente do mineral pela urina.

"Caso a pessoa tenha insuficiência renal, o potássio pode se acumular no corpo e provocar arritmias cardíacas fatais. Seria trocar um problema pelo outro”, explica Marcelo José de Carvalho Cantarelli, cardiologista do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco, em São Paulo. Apesar do perigo, não há nenhuma contraindicação na embalagem do produto.