domingo, 14 de dezembro de 2014

Michell Hilton

Promotora de terrorismo no Facebook condenada a 5 anos de prisão

Um tribunal britânico condenou nesta quinta-feira uma mulher a cinco anos e três meses de prisão por promover o terrorismo no Facebook. 

Facebook

Runa Khan, que mora em Luton, no norte de Londres, publicou textos que encorajavam as mulheres muçulmanas a convencer seus maridos a se unirem a grupos jihadistas. Ela também divulgou fotografias de coletes carregados de explosivos, usados para cometer atentados suicidas.

Ao prender a mulher, a polícia encontrou em seu telefone celular imagens de seu filho de dois anos com um fuzil de plástico. Também havia fotografias de Runa e outro de seus seis filhos com uma espada. A mulher de 35 anos expressou seu desejo nas redes sociais de que seus filhos se tornassem jihadistas e elogiou artigos que detalhavam como doutrinar as crianças com ideias extremistas.

A mulher foi presa após ter sido enganada por um policial disfarçado e fornecido detalhes de como se aliar a grupos terroristas e entrar na Síria por uma rota clandestina. Na sentença, o juiz do caso afirmou que a "única interpretação justa" do material apresentado pela polícia é de que Runa tentava radicalizar outras pessoas.

Em vista da ameaça terrorista imposta pelo crescimento de grupos radicais na Síria e no Iraque, o Reino Unido elevou em agosto o alerta terrorista para "severo". Em novembro, a ministra do Interior, Theresa May, apresentou um projeto de lei para impedir temporariamente o retorno ao país de supostos jihadistas que tenham viajado para zonas de conflito. Nos últimos meses o Reino Unido registrou diversas detenções de suspeitos de terem feito parte de grupos jihadistas, incluindo o Estado Islâmico (EI). Até agora foram sentenciadas quatro pessoas acusadas de colaborar com organizações terroristas na Síria.




Comente com o Facebook: