sábado, 21 de fevereiro de 2015

Dicas para perder peso sem precisar de feitiços!


Dicas para perder peso sem precisar de feitiços!

Associar dieta e atividade física é a maneira mais eficiente de eliminar medidas no abdômen. Está descontente com a sua barriga?
 
A genética pode não ser favorável, mas apostar em dieta saudável e exercícios físicos ajuda a eliminar o problema.

A gordura se acumula na região abdominal de duas maneiras: na camada subcutânea ou na visceral. Na região subcutânea, isto é, logo abaixo da pele, a gordura não causa prejuízos à saúde por formar os culotes, por exemplo, seu efeito é somente estético. Esse tipo de gordura é mais difícil de eliminar porque tem o metabolismo lento, isto é, demora para responder aos estímulos do organismo.

Não se privar de um tipo específico de alimento.

O organismo precisa de carboidratos, proteínas e gorduras para se manter ativo e saudável. Segundo a nutricionista Carla Cotta, do Equilibrium SPA da Mente, no Rio de Janeiro, uma alimentação balanceada favorece a queima de gordura. "Por um mecanismo de sobrevivência, o corpo pouco nutrido acumula mais gordura", diz Carla.

Já a gordura na camada visceral se fixa no interior da cavidade abdominal e está em constante atividade metabólica. “Essa gordura aumenta as taxas de ácido graxo no organismo e eleva o risco de doenças como o diabetes”, diz Henrique Suplicy, endocrinologista e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Em mulheres, a gordura visceral oferece perigo quando a circunferência abdominal é maior que 88 centímetros; em homens, o limite é 102 centímetros.

Entender que exercícios abdominais não fazem milagre.

O que diminui a barriga é a perda de gordura. Exercícios localizados, como o abdominal, não fazem isso. “O exercício localizado simplesmente fortalece a musculatura abdominal”, diz Henrique Suplicy, endocrinologista e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Dieta - Para se livrar dos dois tipos de gordura, não existe fórmula milagrosa. A estratégia é aliar dieta à prática de atividade física. Na alimentação, deve-se ingerir menos calorias e evitar alimentos como fritura, carne vermelha, refrigerante, doce e embutido. Já o exercício precisa ser feito pelo menos três vezes por semana e com moderação. “Quando a atividade aeróbia é realizada em duração prolongada e alta intensidade, o corpo troca a gordura pelo carboidrato como fonte energética”, diz Rodrigo Minoru, biomédico e professor do Centro de Metabolismo em Exercício Físico e Nutrição da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Treinos curtos e intensos, intercalados com um programa de fortalecimento muscular, são mais eficientes para emagrecer do que treinos longos e extenuantes.

Evitar alimentos de alto índice glicêmico.

O índice glicêmico (IG) diz respeito à velocidade pela qual o carboidrato é transformado em glicose pelo organismo. Ou seja, alimentos de alto IG são aqueles digeridos rapidamente pelo corpo. “Esse tipo de comida faz com que o nível de insulina suba de maneira rápida no sangue. Já se comprovou que essa condição é a principal causa de acúmulo de gordura visceral”, diz Izidoro Flumignan, endocrinologista do centro de tratamento da obesidade do hospital Quinta d’Orla, no Rio de Janeiro. Exemplos de alimentos de alto índice glicêmico são pães brancos e sucos industrializados.



Se você gosta dos relatórios de MichellHilton.com, deixe (seu e-mail aqui) para receber minhas atualizações.

[Sem fotos não há direitos autorais!]