terça-feira, 26 de maio de 2015

Como escrever um bom roteiro


Como escrever um bom roteiro

Para descobrir, você terá de escrever um roteiro para exibir seus talentos. Para escrever um roteiro, siga essas orientações.

Tenha uma página de título. Seu roteiro precisará de uma página de título. Isso incluirá o título e seu nome, além de fornecer informações de contato e dados sobre seu agente (caso possuas um).

Use a fonte, as margens e o espaçamento corretos. Você precisará usar a fonte Courier (fonte de máquina de escrever) ao redigir o roteiro. Isso dará uma aparência mais profissional ao trabalho, além de facilitar a leitura do texto. Semelhantemente, você deve usar as endentações corretas para cada parte do roteiro, pois isso ajudará o leitor a diferenciar entre diálogos, descrições de cenas, etc..

Ceda detalhes úteis sobre o ambiente e os personagens. Abuse de detalhes antes de cada cena. Você pode dizer se a ação acontece dentro ou fora de algum lugar, qual é a localização, e se é dia ou noite. O nome do personagem deve aparecer inteiramente em letras maiúsculas acima ou ao lado do diálogo dele (dependendo do motivo pelo qual você escreve). Você pode colocar instruções, como pausas, em parênteses.

Use a formatação correta para seu método de apresentação. Se você quiser escrever um roteiro de filme, terá de redigir o trabalho em tal formato. Se quiser escrever um roteiro de teatro, terá que adaptar sua escrita para esse formato. Ainda que os roteiros sejam amplamente semelhantes, há diferenças entre eles, e buscar aprendê-las pode consumir muito de seu tempo. Leia muitos roteiros que se encaixem com seus interesses para descobrir como os profissionais os escrevem.

Certifique-se de não ter escrito demais. Roteiros normalmente duram cerca de um minuto por página, ainda que haja algum espaço para se exceder. Roteiros não são como livros, em que a contagem de palavras é um jeito definitivo de determinar a extensão da obra. Tome cuidado.

Desenvolvendo Sua História

Formule uma premissa. Escreva uma frase curta ou transcreva o conceito fundamental que conduz a trama. Pode ser algo como a mensagem ou a ideia por trás de sua história, uma ideia extremamente curta para a trama ou algo que lhe dê um objetivo/ideia a ser desenvolvida.

Crie um rascunho ou tratamento. Antes de começar a escrever o diálogo e o roteiro, pode ser útil criar um mapa indicando o que acontecerá em sua história. Assim, você não se sentirá confuso e poderá eliminar quaisquer buracos ou falhas na trama. Rascunhe um plano geral e visualize como os eventos se desdobrarão. Isso deve ser escrito em terceira pessoa.

Dê corpo à sua história. Escreva a premissa inteira da peça, filme, etc., com muitos detalhes e ideias, não se importando com estilo, formato, repetição ou qualquer outra coisa que entre no caminho de seu fluxo criativo. Seu produto finalizado deve abordar a trama, as personalidades, os relacionamentos, os arcos dos personagens e o objetivo maior da narrativa. Algumas vezes, desenhos ou diagramas podem ser usados como rascunho temporário, ajudando a demonstrar facetas de sua trama e de seus personagens, etc..

Seus personagens devem conduzir a ação no palco ou na tela – portanto, certifique-se de que eles sejam interessantes e inovadores. Você não precisa desenvolvê-los completamente agora, pois eles tendem a criar vida própria durante a confecção da obra.

Apare a história. Agora que você colocou tudo no papel, procure pesos mortos, ligações fracas, detalhes irrelevantes, explicações excessivas, elementos confusos e que amodorram o roteiro, e qualquer coisa que enfraqueça a trajetória do trabalho. Seja rígido – você pode até ter se apaixonado por algo que parecia ter dado certo na fase exploratória. Porém, tal elemento não precisa sobreviver na revisão.

Melhorando seu roteiro

Pesquise após escrever o primeiro rascunho. Assista a peças, programas de TV e filmes que sejam semelhantes ao trabalho que você escreveu. Examine seu próprio trabalho e compare-o ao desses outros. Você cometeu muitos erros? A história caiu em muitos clichês? Está fechada demais? Veja se é possível fazer a diferença entre seu gênero.

Trabalhe para fazer contribuições profundas ao tema que você escreveu. Aborde filosoficamente o assunto e desafie ideias convencionais. Isso fará com que seu trabalho seja muito mais atraente.

Simplifique sua escrita. Você não precisa de diálogos extremamente cultos ou cenas malucas para manter o público interessado. Assim como num livro, nosso trabalho brilha mais quando estamos mostrando, e não contando. Faça com que as escolhas dos personagens falem por si mesmas e coloque mais significado naquilo que eles não dizem.

Escreva a trama em formato de roteiro. O formato dependerá da mídia a qual o roteiro se destina: teatro, TV ou cinema. O formato do roteiro também mudará de acordo com o país (Por exemplo, o roteiro da indústria Americana de TV é modelado como se fosse um plano de negócios). Use os cabeçalhos apropriados para introduzir cenas, identificar cada orador e por aí vai: muitas companhias de produção mal olharão para o roteiro caso ele não esteja apropriadamente formatado.

Considere comprar um programa de escrita de roteiros para essa fase do processo. Há diversos programas que conduzirão a formatação ou converterão um roteiro escrito no layout correto.

Mantenha seu estilo. Lembre-se, roteiros são sobre ações e diálogos. Certifique-se de que seus personagens falem realisticamente e tente não misturar figuras de linguagem e de estilo caso não esteja procurando causar determinada reação.

Atraindo o público

Monte a cena. Não se esqueça de incluir detalhes importantes, como o horário, o ambiente e as ações dos personagens na cena. Eles são quase tão importantes quanto os diálogos que ocorrem.

Descreva ações brevemente. Busque mostrar no roteiro o que acontecerá na tela, mas deixe o diretor preencher os detalhes. Escrever toda a ação não é o trabalho do escritor. Tentar incluir coisas demais lhe deixará desapontado quando as coisas mudarem.

Passe muito tempo trabalhando no diálogo. Os diálogos salvam e matam personagens e os relacionamentos deles. O pior é que é extremamente difícil, para algumas pessoas, escrever diálogos. Para se preparar, escreva ou grave conversas reais para ver como pessoas conversam e quais expressões elas usam.

Certifique-se de escutar vários oradores para dar aos personagens mais sabor e individualidade.
Garantir que personagens diferentes tenham suas próprias “vozes” e “personalidades” de acordo com o histórico deles os impedirá de se misturarem. Lembre-se, a personalidade dos personagens afetará as atitudes, as conversas e os dialetos deles.

Leia seu diálogo em voz alta enquanto escrever, prestando atenção para saber se eles parecem estranhos, estereotipados, exagerados ou totalmente uniformes.

Finalizando a obra

Edite seu trabalho. Refine-o, mas não seja um perfeccionista. Trabalhe “em direção” à perfeição, e não “para alcançá-la”.

Exiba seu trabalho para pessoas cuja opinião você respeite. Escolha pessoas que não apenas tenham históricos diferentes e variados gostos pessoais, mas que também estejam dispostas a fornecerem críticas honestas.

Não se sinta insultado, controlado, triste ou nervoso por causa de críticas ou observações: elas não passam de opiniões, e não de fatos. Ria e seja entusiástico quanto a ajuda e conselhos, mas pese as opiniões dos críticos com seu próprio julgamento antes de implementar mudanças.

Revise seu trabalho quantas vezes forem necessárias. Por mais doloroso que isso seja, você ficará feliz quando conseguir exibir sua obra.


INSCREVA-SE NA NEWSLETTER!