quarta-feira, 18 de novembro de 2015

"Vocês não vão viver em paz"

A simultaneidade dos ataques e modus operandi do comando terrorista que matou pelo menos 129 em Paris, no dia 13 de novembro, deixou poucas dúvidas.

A reivindicação pelo Estado Islâmico (EI), menos de doze horas depois de uma declaração feita em várias línguas e um vídeo, amplamente retransmitidos em redes sociais jihadistas, confirmaram o envolvimento do grupo no que o presidente francês, François Hollande, chamou de um "ato de guerra que foi preparado, organizado e planejado com cúmplices de dentro da própria França.

"Vocês não vão viver em paz".