ultimas noticias, noticias, Michell Hilton, Últimas, Notícias de ultimas hora, Michell hilton, brasil, ipo, tecnologia, michell hilton com, mundo, ultimas noticias do Brasil e do mundo, ultimas noticias, noticias, michellhilton, ultimas, noticias de ultimas hora, michell hilton, brasil, ipo, tecnologia, michell hilton com, mundo, ultimas noticias do Brasil e do Mundo, ultimas noticias, noticias, michellhilton, ultimas, noticias de ultimas hora, Michell Hilton, Brasil, ipo, Tecnologia, michell hilton com, Mundo, ultimas noticias do brasil e do mundo, ultimas noticias, noticias, MichellHilton, ultimas, noticias de ultimas hora, michell hilton, brasil, ipo, tecnologia, Michell Hilton Com, Mundo, Últimas Noticias do brasil e do mundo Michell Hilton mostra quais notícias ou sentimentos estão fazendo o mundo girar, incluindo últimas notícias do Brasil

domingo, 10 de abril de 2016

Falência! Grécia vende seu maior porto aos chineses

Atenas assinou um contrato de 368,5 milhões de euros para vender o operador do porto de Pireu ao grupo marítimo chinês COSCO, informou a Reuters. Esta é a segunda privatização importante para o país desde o ano passado.

Sob o acordo, COSCO vai adquirir 51 por cento do porto pelo valor de 280,5 milhões e os 16 por cento restantes por 88 milhões, depois de cinco anos, uma vez que a empresa concluir com os investimentos obrigatórios. A empresa vai investir 350 milhões durante a próxima década, e vai pagar uma taxa anual para o Estado grego pela gestão do porto.

A empresa estatal chinesa foi a única concorrente. COSCO já opera o terminal de contentores em Pireu sob uma concessão de 35 anos que foi adquirida em 2009. A empresa está investindo 230 milhões de euros para construir um segundo terminal de contentores no porto que pretende transformar em um centro de logística para as exportações chinesas para a Europa.

O Porto de Pireu é uma porta de entrada para a Ásia, Europa Oriental e África do Norte. Por ali passaram 16,8 milhões de passageiros e 3,6 milhões de contentores de 20 pés em 2014.

Os trabalhadores portuários de Piraeus, no entanto, disseram que estão preocupados com o negócio que poderia colocar seus empregos em risco.

"Esta não é uma concessão, é uma doação de bens pertencentes ao povo grego", disse Constantinos Tsourakis, um trabalhador do porto.