sexta-feira, 29 de setembro de 2017

A grave falha da ONU no Mianmar


A denúncia surge numa altura em que mais de meio milhão de Rohingya já fugiram para o Bangladesh

O chefe da missão da ONU em Mianmar impediu que os direitos da minoria étnica muçulmana Rohingya fossem debatidos com o governo do país, acusam fontes das próprias Nações Unidas e da comunidade humanitária em declarações à BBC. Segundo as várias fontes, a ex-chefe da equipe da ONU para a antiga Birmânia, a canadiana Renata Lok-Dessallien, também tentou impedir que funcionários de ONGs visitassem áreas onde a minoria vive concentrada nos quatro anos que antecederam a atual crise.




Se você gosta dos relatórios de MichellHilton.com, deixe (seu e-mail aqui) para receber minhas atualizações.