sábado, 30 de setembro de 2017

Crise de cólera no Iêmen é culpa da Arábia Saudita

O surto de cólera no Iêmen se tornou o mais rápido da história, de acordo com agências de ajuda humanitária.

O surto de cólera no Iêmen se tornou o mais rápido da história, de acordo com agências de ajuda humanitária.

Atualmente, mais de 2.100 pessoas - 50 por cento das quais são crianças - morreram da doença. Enquanto isso, até 5.000 pessoas por dia estão ficando doentes.

"A guerra empurrou o país ao limite da fome, forçou milhões a fugirem de suas casas, praticamente destruiu os serviços de saúde já fracos e dificultou os esforços para responder ao surto de cólera", disse a organização de caridade britânica Oxfam.

A notícia vem após meses de ataques aéreos dirigidos por sauditas contra alvos em áreas controladas pelos houthis, incluindo hospitais e centros médicos.

A cólera, uma infecção bacteriana, é espalhada por água contendo fezes contaminadas. Pode ser facilmente evitado e facilmente tratado.

No entanto, menos da metade dos centros médicos do país ainda estão ativos na sequência do bombardeio saudita em curso.