sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Depois de 37 anos, o Zimbábue tem um novo presidente

O ex-vice-presidente Emmerson Mnangagwa assumiu nesta sexta-feira (24) o cargo de presidente provisório do Zimbábue. Ele substitui Robert Mugabe, que renunciou terça-feira (21) após a tomada do controle do país por parte dos militares. A posse ocorreu em cerimônia em um estádio da capital, Harare.

O perfil de Mnangagwa ressuscitou os fantasmas do nascimento violento do Zimbábue. O homem conhecido como "O Crocodilo", por sua politica furtiva, mas efetiva, foi vinculado aos massacres de Gukurahundi.

Os assassinatos no início da década de 1980 foram perpetrados por forças de elite treinadas na Coreia do Norte e conhecidas como a Quinta Brigada. Eles eram soldados da maioria da etnia Shona, ferozmente leais a Mugabe, que foram implantados para suprimir os seguidores de Joshua Nkomo, o rival político de Mugabe.

O que se seguiu foi o assassinato indiscriminado de talvez mais de vinte mil Ndebeles. Mnangagwa foi um agente de segurança de longa data no exército do Zimbábue, mas negou qualquer vínculo com o assassinato em massa. Esta praga na história do Zimbábue nunca foi tratada abertamente e foi trazida à superfície.